segunda-feira, 2 de maio de 2011

pancake, palcos e cigarro

Guardava ao lado do semivestido vermelho, de estilo espanhol e várias saias sobrepostas, um hábito negro e um terno acinzentado. Só usava o primeiro - quando usava -, as personagens cada vez menos precisavam de roupas.

Conferiu que havia trazido o cigarro e trincou os dentes só de lembrar do gosto de nicotina e alcatrão, odiava fumar, fora dos palcos nunca suportou o cigarro. Mesmo em casa, quando jovem, com seu pai sentado, chamando-a, com a gravata frouxa e o cigarro entre os dedos, e talvez justamente por isso o odiasse tanto: o pai e o cigarro.

Encheu-se de artifícios: pancake e mais pancake e mais pó e talvez mais pós e várias cores e o semivestido e o cigarro e cara pronta.

Subiu ao palco de madeiras velhas e soltas, olhou ao redor e começou o número. Bem à frente o mesmo velho repugnante com colarinho amarelado que insistia em lamber-lhe as orelhas em troca de enfiar uma nota azulada entre os seios. Era pra sordidez que estava ali, o estomago era socado por dentro, mas ferozmente sorria. Asco, os putos sentados e esfregando os paus. Asco, tudo. Era a hora de sentar na cadeira e fazer a “cara de que queria aquilo tudo mais que qualquer outra coisa no universo”, colocava o cigarro entre os lábios e tragava: o hálito medonho do pai. Mais asco. O inferno avermelhado e as luzes queimadas se apagavam. Palmas, vaias, assobios, xingamentos. Liberta. Era o fim.

Em casa deixava uma sacola com batatas para fazer depois; beijava o filhinho. Da sala ouvia o marido reclamar que era detestável aquele hábito de fumar escondida enquanto fazia compras. Ela prometeu parar, colocou o velho crucifixo de volta no pescoço, e disse que foi só um cigarrinho. Não mentira de todo, odiava mentir, desde os tempos do convento.

4 comentários:

Veneno Antimonotonia disse...

Há tempos você não escrevia tão bem. Ou, não postava textos tão bem escritos.

Clareanna V. Santana disse...

Gostei!

Veneno Antimonotonia disse...

Livros favoritos não mudam. Pessoas também não.

Veneno Antimonotonia disse...

Não foi minha intenção. Você sabe. (: