segunda-feira, 9 de junho de 2008

particular

Leva o céu nos olhos e as luzes refletidas na janela. O movimento na rua é como uma coisa sua, particular e indivisível. Olhas as pessoas como se fossem amigas e foi assim que apesar de amar a chuva, começou a ficar chateada quando percebeu que os outros não gostavam tanto. Ficava ali, olhando pela janela a ausência de movimento nas calçadas. E quem queria ver, nunca via.

Um comentário:

Jamila disse...

esse povo que vê tudo o que acontece na rua pela janela... eu adoraria ver o brad (pitt), mas ele não passa também...
nem pra ele vir na minha casa, falar do amor dele por mim... eu, o esperando na janela, não sei como ele se segura! (pegou?)
beijo, amore!